Copyright© 2017-2019 - Todos os Direitos Reservados -  Elizeu Cardoso

Desenvolvido por Jonathas Sales

28 Oct 2019

Foi logo depois do último trovão, que ela bocejou, inquieta com aquela chuva toda. Fingiu que ainda dormia, mas só esperou a claridade atravessar a cortina fina do quarto, para se levantar. Abriu os braços, feito um passarinho, e resmungou alguma coisa, vendo o marido...

23 Sep 2019

Desde menino, seu sonho era ser jogador de futebol. Mesmo num lugar distante daquele, entre Guimarães e Mirinzal, sem energia, televisão ou geladeira, bastava o pai ligar o rádio que ele esquecia dos outros meninos lhe chamando para brincar. Aquela voz acelerada narran...

23 Sep 2019

“É agora ou nunca!” – Pensou Nicolau ao ver a tropa se distanciando um pouco, obedecendo ao seu pedido. Só após observar que os soldados retiravam as armas dos ombros e as pesadas e molhadas botas dos pés, após um dia de caminhada, embrenhou-se na mata. Viu a lua cresc...

4 Sep 2019

Janeiro
A delicada correnteza 
do amor primeiro.

Fevereiro 
Aqui dentro do peito, 
O mesmo fogareiro.

Março,
O desejo incontido, 
que já nao disfarço.

Abril,
A pele incendiada, 
desnudada e tão febril.

Maio,
A chama quando amamos, 
antes do desmaio.

Junho,
Cúmplic...

4 Sep 2019

Até o galo se confundiu ouvindo aquela conversa ali no quarto, pensando ser o fim de madrugada, se pôs a cantar, acordando os quintais da vizinhança. Todos os outros galos o seguiram, tecendo em cantorias o dia que ainda estava longe de nascer.
- Acorda, marido! Diacho...

30 Aug 2019

A tarde se danou para esfriar, logo depois do almoço. O vento brincando de “já-ô” por entre as árvores e fazendo redemoinhos, sem muita altura, com as areias do quintal. De vez enquanto uma folha seca se perdia no azulamento do céu. 

 
- Um friozinho desses é feitiço de...

30 Aug 2019

Sabe-se lá o que deu em sua cabeça, quando já deitado atravessado na rede, o vento lhe trouxe o som dos tambores. Talvez fosse porque suas mãos cresceram batendo nas madrugadas, ou desejava ver aquele sorriso novamente? Pegou a camisa enfiada na escápula, passou um pou...

5 Jul 2019

Quando pôs os pés para fora da rede e tocou o chão de terra batida, tentando achar os tamancos, Maria da Purificação estranhou que a mãe não estivesse ali deitada na outra rede. Por isso, se calçou ligeiro e saiu apressada, levantando a cortina fina do quarto. Ao vê-la...

25 Jun 2019

Acordara antes do dia, por isso bocejava demoradamente, parada ali na porta da cozinha. Observava a dança das bandeirinhas coloridas sobre o quintal varrido. O festejo ia começar! – Pensou alegre, voltando a entrar. Havia esquecido por alguns instantes do café no fogar...

31 May 2019

- Vó porque sua mão é tão fria? – Perguntou a neta curiosa entrelaçando os seus dedos nos da avó, ali ao lado da rede.


- Tu é ainda é muito criança para saber dessas coisas... 
- Criança eu, vó? Já tenho até neto!
- E é? Me desculpe, minha filha. Esta cabeça não presta...

26 May 2019

No tempo do ronca quando os dias ainda tinham preguiça de passar, foi que Velho João começou a fazer aquele tambor no quintal da sua casa, colado ao canto do cemitério. Por isso estava ali trepado na escada, desenrolando as mesmas bandeirinhas usadas do ano passado. Nu...

26 Apr 2019

Até aquele dia, ele nunca havia percebido. Talvez pelo cansaço da roça ou pela frieza medonha das pescarias. Mas ao acabar o conserto da cerca que havia desabado na última chuva, tudo se tornou claro, como um relâmpago acendendo o céu num ninho de tempestades.

- Mulher...

1 Dec 2018

- Não me fuzilem! Não me fuzilem! Por favor, juro que não fui eu – Gritou Ermitão, o vigia da escolinha, na exata hora em que até os silêncios se calam no meio da madrugada. A mulher e os filhos acordaram de uma só vez, e correram para o quarto numa procissão desespera...

22 Nov 2018